sexta-feira, 29 de julho de 2016

"Que notícia tão relevante"

 Eis mais um post.
 Desta vez eu vim dar a minha opinião (porque aparentemente eu quero, posso e consigo) sobre o quão má, e isto para ser bastante simpático, esta a secção de comentários nas redes sociais - quase exclusivamente o Facebook- cada vez que é publicada uma notícia de teor menos sério por parte de jornais como o JN, DN, Expresso, entre outros.
 É quase impossível não dar conta de comentários do tipo "que notícia tão relevante" ou "a sério que isto é notícia?" - detalhe para as muitas vezes em que é escrito "assério" ou "aserio" em vez de "a sério".
 Cheguei a um ponto em que, de estar tão farto de ver este tipo de comentários, decidi expor aquilo que me vai na mente. Vou tentar fazer isto de forma simplificada.

Ninguém quer saber

 Não, não estou a falar propriamente da notícia ou do post em si, estou a falar do comentário.
 Cada faixa etária, ou cada utilizador individual, tem diferentes necessidades de consumo de informação - seja ela socialmente inútil ou útil. Uma publicação relativa à boa forma física de uma determinada celebridade pode ser considerada inútil para muitos, mas para outros que terão curiosidade será útil de alguma forma. Agora, para o bem da secção de comentários, não precisam comentar que no vosso ver aquela publicação é inútil. Afinal de contas, se todos os vossos contatos do Facebook comentassem o quão inúteis são as vossas publicações de acordo com a opinião deles, não iriam gostar.
O mesmo se passa com aquilo que para uns é considerado ofensivo - para outros não é.
Deixem essas "publicações inúteis" para quem tem interesse nelas e continuem a fazer scroll down no vosso feed.

"Mas e a liberdade de expressão?"

 Sim. Liberdade de expressão é algo muito bonito e quando nos convém, mas como se costuma dizer - a liberdade de um acaba quando a de outro começa. Além disso, essa tal liberdade de expressão não implica direito de não receber resposta ou dizer qualquer barbaridade apenas porque sim.
 Existem mais pessoas que irão querer consumir essa informação (in)útil do que ver os comentários de alguém insatisfeito com um post. Convém pensar antes de publicar um comentário num suposto local público e tentar, pelo menos tentar, fazer da secção de comentários num sítio menos poluído. Basta continuar a descer no feed até encontrar alguma coisa do nosso interesse e deixar os que realmente querem saber do assunto criar uma discussão em torno disso.

 Como é que faziam há 40 anos quando só havia dois canais de televisão, rádio e alguns jornais? Uma das melhores possibilidades da Internet é a possibilidade de escolher aquilo que eu quero consumir. Se eu me deparar com algo que não me interessa é fácil encontrar algo que me satisfaça - afinal de contas ninguém é obrigado a consumir informação (in)útil.
Façam da Internet um lugar mais bonito, com mais comentários úteis e menos ódio e revolta em torno de algo desnecessário.


Sugestão musical

Para aliviar a malta revoltada ou com dor de alguma coisa, uma boa música rock costuma ajudar. Desta vez decidi trazer os Screaming Trees, uma das bandas responsáveis pelo surgimento do grunge - movimento musical que atingiu muito sucesso nos anos 90 com os Nirvana especialmente - mas que nunca chegou a ter o mesmo sucesso que outras bandas do género.
Se há uma banda que deve estar no pódio das bandas mais desvalorizadas de sempre, esta é uma delas. Até à próxima.





0 comentários:

Enviar um comentário